quarta-feira, 17 de abril de 2013

The Bane Chronicles - Entrevista com as autoras

Cassandra Clare, Maureen Johnson e Sarah Rees Brennan deram uma entrevista a Entertainment Weekly sobre The Bane Chronicles (As Crônicas de Bane)

ENTERTAINMENT WEEKLY: Vamos dar prioridade ao que tem prioridade: Como é que surgiu a ideia para As Crônicas de Bane?


Maureen Johnson: Nós sempre temos piadas sobre os livros uns dos outros, e eu tenho meus desenhos de vários personagens de Cassie. Tudo começou com um série de piadas a respeito do que nós iríamos fazer.
Sarah Rees Brennan: Eu cheguei depois. Maureen e Cassie estavam conversando sobre vários personagens diferentes e aventuras que poderiam ter tido. Então, quando estávamos juntas na França começamos a contar as histórias de Magnus uma as outras.

Cassandra Clare: Nós alugamos uma casa na França, e tinha uma sala chique e muito grande que não poderíamos usar. Nós estávamos sentadas lá (com muito cuidado), e então começamos a fazer piadas sobre Magnus e sobre o que ele pensaria da sala. Maureen contou uma sobre Magnus durante a Revolução Francesa. Sarah apresentou suas teorias sobre o por que Magnus havia sido banido do Peru, e isso se expandiu. Eu disse, "É realmente uma pena que não poderia escrever isso como uma série de histórias em curso, porque não tem o formato de um romance. É mais uma série de contos interligados. "Foi quando começamos a falar sobre o assunto a sério."

ENTERTAINMENT WEEKLY: Por que você decidiu em 10 publicações?


Cassandra Clare: Tivemos a percepção de que a melhor casa para um projeto como este foi, provavelmente seria a Internet porque permite formatos não-tradicionais de publicação. Então nós começamos nos sentamos para falar sobre o que as histórias seriam e como seriam escritos. Desde há três de nós e estamos escrevendo cada história - Maureen escreveria metade, Sarah escreveria metade, eu estou escrevendo metade junto a elas - parecia justo dividi-las meio a meio.

ENTERTAINMENT WEEKLY: Cada publicacação é escrito por apenas duas autoras. Como você decidiu quem iria escrever o quê?

Brennan: Quando começamos a falar sobre isso, tornou-se claro em que estávamos mais interessadas, e nos perguntamos: "Bem, o que será dos personagens mortais? E sobre Raphael?" E se ele e Magnus tiveram uma história? E às vezes as histórias que planejamos escrever tomam um rumo dramático. Cassie, Maureen, e eu estávamos em turnê juntos, e um monte de pessoas perguntava sobre os personagens de Peças Infernais. Cassie e eu falamos sobre isso no ônibus, e nós somos como, "Bem, isso poderia ser uma Crônica Bane e depois tivemos de dar a notícia ao nosso editor que tínhamos uma crônica diferente!
Maureen Johnson: Todo o projeto nasceu naquele quarto na França, e este era realmente o cenário ideal para isso - o lugar para se fazer um projeto louco. Falamos muito sobre o tempo em que se passariam as histórias, pois tínhamos tanto a escolher. Era um banquete de idéias e dissemos: "Temos quatro ou cinco mil anos de história para escrever. Quais são os cenários impressionantes, onde deveríamos ir?"

ENTERTAINMENT WEEKLY: O que você pode adiantar sobre o que realmente aconteceu no Peru?

Cassandra Clare: Há uma menção em um dos livros de Instrumentos Mortais de que Magnus está proibido de entrar no Peru, no país inteiro, e ele nunca diz o porquê. Portanto, nesta história... Eu não quero estragar a história sobre Magnus ter sido banido! Mas, na verdade, abrange uma série de visitas de Magnus ao Peru no decorrer dos séculos.
Sarah Rees Brennan: Eu conheço pouco sobre a história peruana. Então, minha pesquisa estará focada em um século em que o Peru tinha um grande problema com a pirataria. Magnus e piratas, obviamente! E em outro século, havia vigaristas atacando os viajantes, e se Magnus conheceu um vigarista muito confiante? Ou algo desse tipo...

ENTERTAINMENT WEEKLY: Recentemente anunciou-se que Jesse Williams de Greys Anatomy vai narrar o audiobook. Como isso aconteceu?

Sarah Rees Brennan: Jesse Williams é tão incrível, então eu me sinto uma sortuda de pegá-lo .... Ele é muito bonito! [Risos]
Cassandra Clare: Eu pensei: "Uau, que pena que não posso vê-lo enquanto ele faz sua narração!" [Risos] Nós demos a Simon&Schuster uma enorme lista de atores e pessoas que realmente gostaríamos para o trabalho. Nós dissemos: "Bem, estas são as pessoas que realmente gostamos e que seriam ótimas." As histórias são tão diferentes, têm diferentes climas e estilos. [Simon & Schuster] nos retornou com uma lista diferente de pessoas e um deles era Jesse .... Acho que foi idéia de Sarah de termos um narrador diferente para cada publicação. Não queríamos posicionar o narrador como se Magnus estivesse contando a história. Queríamos que em cada publicação ficasse claro de que um narrador conta a história sobre Magnus.

ENTERTAINMENT WEEKLY: Cada publicação terá um narrador diferente? Sabe quem mais poderia narrar uma das publicações?
Cassandra Clare: O que eu sei é que para cada publicacação ainda será escolhido o narrador. Eu sei dos nomes que sugerimos, mas não sei se eles vão fazê-lo ou não.

ENTERTAINMENT WEEKLY: Quem vocês sugeriram?

Sarah Rees Brennan: Podemos dizer?
Cassandra Clare: Eu acho que poderíamos. Isso soaria assim: "Ei, me ligue!" Sugerimos nomes de pessoas diferentes que pensamos ter um grande requinte cômico, como Alan Cumming. Para os que vivem na Inglaterra, pois estamos interessadas ​​em ter leitores britânicos, pensou-se em John Barrowman, pois ele tem uma bela voz e seu teve um ótimo desempenhado em um dos personagens masculinos bissexuais mais conhecidos na mídia. Nós pensamos que ele poderia se divertir com Magnus e sua vida romântica.
Sarah Rees Brennan: Mas não sabemos se eles o farão.
Cassandra Clare: São histórias curtas e isso é muito legal. Podemos procurar por pessoas com agendas muito apertadas e dizer que é questão de apenas quatro horas de seu tempo. Não é um compromisso enorme.
Maureen Johnson: É simples... dá para fazer em uma manhã!

Ainda sem previsão de lançamento no Brasil (em português), as dez crônicas serão lançadas uma por mês até dezembro e no próximo ano em formato de livro (ainda em inglês).
A primeira foi lançada ontem e já temos aqui uma revisão desta publicação.