segunda-feira, 15 de abril de 2013

Trecho 27 - Príncipe Mecânico


O trecho 27/45  publicado por Cassandra antes do lançamento de Príncipe Mecânico em seu idioma original é uma cena excluída.

Como agora os trechos estão maiores, é preciso lembrar-se de os trechos não possuem a tradução oficial, por isso, após a publicação do livro, você pode encontrar algumas diferenças nos termos, mas a essência se mantém.
Alguns desses trechos lançados são pequenas frases, outros são parágrafos ou cenas inteiras que foram deletadas na edição.

Curta sua leitura!


*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.

Will conta a Jem o seu segredo.

Toda a verdade


"E é isto?" disse Jem. "Isso é tudo? Toda a verdade?"
Ele estava sentado à sua mesa, uma de suas pernas dobradas em cima da cadeira, ele parecia muito novo. O seu violino estava apoiado ao lado da cadeira, ele estava tocando quando Will entrou e, sem rodeios, disse que agora acabaria o seu fingimento: Will tinha uma confissão a fazer, e ele estava decidido a fazê-lo agora.
Isto marcou o fim da música de Jem: ele apoiou seu violino à cadeira com um olhar assustado e inclinou-se para trás, tenso, como se pudesse ver que Will tinha uma coisa muito importante para lhe contar.
"Isso é tudo", disse Will, ziguezagueando enquanto falava, e então, olhou para Jem."Eu não o culparei se você passar a me odiar por isso. Eu entenderei."
Fez-se um longo silêncio. O olhar de Jem estava firme, estável e prata na luz oscilante do fogo. "Jamais poderia odiá-lo, William."
Will sentiu um frio na barriga ao ver um outro rosto, um parte de constantes olhos azul-acinzentados firmes nos seus. "Nunca poderia odiá-lo, Will, não importa o quanto eu tenha tentado" ela disse.
Naquele momento, dolorosamente ele teve a consciência de que o que ele contou a Jem não era "toda a verdade." Havia mais verdades. Havia o seu amor por Tessa. Mas esse era um fardo que ele deveria carregar sozinho, sem a ajuda de Jem. Isso deve-se manter oculto de Jem, para sua felicidade. "Eu mereço isso," Will disse, a sua voz se esvaindo. "Eu acreditava que eu tinha sido amaldiçoado, que todos que passassem a me amar, morreriam, e ainda assim, me deixar amá-lo, e o deixei ser meu irmão, arriscando sua segurança..."
"Não há nenhum perigo."
"Mas eu acreditava que sim. Se eu tivesse uma arma apontada para sua cabeça, James, e puxasse o gatilho, importaria o fato de eu não saber que não há balas no canhão?
Os olhos de Jem se arregalaram e ele sorriu suavemente. "Você acha que eu não sabia que você tinha um segredo?", disse. "Você acha que entrei nesta amizade com você com os olhos bem fechados? Eu não sabia a natureza da carga que você carregava, mas eu sabia que havia uma." Sua voz se suavizou. "Eu sabia que você se via como um veneno para todos à sua volta", ele continuou. "Eu sabia que você pensava haver alguma força corrupta em dentro de si e que você me machucaria. Eu tentei lhe mostrar que eu não quebraria. Que o amor não era tão frágil. Eu consegui fazer isso?"


Will deu de ombros impotentemente. Ele quase desejou que Jem ficasse irritado com ele. Seria mais fácil. "Você salvou minha vida."
Um sorriso espalhou-se pelo rosto Jem, tão brilhante quanto o nascer do sol que quebra sobre o Tâmisa. "Isso é tudo que eu sempre quis."


*.*.*.*.*.*.*.*.*.

Quer saber um segredo? Esta cena foi adicionada em Princesa Mecânica.

*.*.*.*.*.*.*.*.*.

Os livros sempre nos fazem olhar para a nossa vida de forma diferente. E Cassandra Clare tem um jeitinho todo especial de fazer isso. Através deste trecho podemos ver que, as pessoas mais difícies de lidar, podem ser aquelas que mais nos amam ou precisam do nosso amor.
Todos precisamos de amigos como James. E todos somos Will em alguma ocasião, quando tentamos proteger aqueles que amamos das dificuldades da vida, por menores que sejam.
Pare um pouco e pense sobre isso.
Lembre-se também, dia 17 está chegando, programe-se para buscar o seu livro.